terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Sapateiro

Algumas profissões vão tornando-se obsoletas e hoje é raro encontrar-se um bom sapateiro. Ah! Mas eu conheço um. Dos bons. É... mas ele já não trabalha. Aposentou-se. No entanto, meu tio Antônio forrava sapatos como ninguém! Para que forrar sapatos?! ... usava-se naquela época: nos casamentos ou nos grandes eventos, as mulheres cobriam os sapatos com o mesmo tecido do vestido. Outros tempos... Ficava uma lindeza! Cobertos de renda, tecidos brilhantes, tafetás... Eu jamais vou me esquecer daquele ambiente da sapataria do meu tio. Tanto preguinho, tachinha, pregão... aquelas caixinhas infindáveis com todo tipo de materiais, solas de couro, saltos infinitos... minhas primas sempre sabiam o salto que estava na última moda. Foi nessa época que eu soube que tinha um salto chamado carretel. Não é bonito? E as fôrmas?! Uau... e o cheiro inconfundível de couro, cola... Calma! Eu nunca cheirei cola: meu tio escondia e vigiava tanto aquelas latas, que eu nunca havia entendido bem o motivo. Adorava vê-lo com seu avental todo sarapintado de tintas, graxa, cola... e ele sempre com a fôrma no colo, ajustando, moldando e martelando solas, pregando, colando, cortando... Deve dar um gostinho todo especial saber fazer algo que quase mais ninguém no mundo sabe, não é? Segredos incontáveis...
Aí eu estava vagando por Viana do Castelo quando vi esta portinha aberta:
Ah! Que legal! Um sapateiro como se deve... Não resisti, puxei prosa, pedi para tirar uma foto. Claro. Ele não deve ter entendido nada. Só que eu não podia deixar de aproveitar uma oportunidade tão rara destas.
Então como você acha que eu vou explicar para a Carolina que sapatos não nascem dentro de uma caixinha na loja do shopping?

3 comentários:

Rachel Paiva disse...

Q saudosismo esse seu, hein?
Acho q tá na hora de dar um pulo na terrinha!

Bjo bjo

Rejane Paiva disse...

Me leva!

Guida disse...

Eu também conheço o melhor sapateiro de todos , o meu pai, mas também se reformou e porque ficou sem ver , deixou de fazer sapatos, tenho pena, fiquei perdida sem saber quem me ajudaria quando precisasse de concertar os meus sapatos...Mas achei outro belo sapateiro que por acaso é meu primo e já deu provas de que é um artista.
Cumprimentos.
Margarida